Poonam

Sobre a fundadora da abordagem

Érica Soares Pinheiro nasceu no Brasil, na cidade do Rio de Janeiro. Desde cedo, teve contato com a espiritualidade quando, aos 7 anos, foi “milagrosamente” curada de uma grave doença no sangue. A partir de então, seguiu um caminho místico, espiritual e de busca pelo entendimento da mente humana. Mergulhou nos mais variados temas, especializando-se em Psicologia e Astrologia Ocidental (1994 até 1997). A partir daí, sob forte influência de grandes nomes da psicologia mundial (Jung, Liz Green, Howard Sasportas, etc.) atuou profissionalmente em atividades relacionadas à Astro-Psicologia e nunca mais parou de estudar e pesquisar sobre o tema.

Em 1997, recebeu da Osho Internacional o nome místico “Deva Poonam”. Nesse período, fez uma pausa nas atividades de Astro-Psicologia e ingressou na Casa das Artes das Laranjeiras (Cal) para estudar Teatro. Lá, foi “batizada” com o nome: Érica Poonam.

No fim do curso, em 2000, coincidentemente, Érica foi visitar a Sociedade Taoísta do Rio de Janeiro. Lá conheceu aquele que iria mudar o “rumo da sua história:” o Mestre Wu Jyh Cherng.

 A astrologia voltou a fazer parte de suas atividades profissionais, só que agora pela Abordagem Taoísta: “Zi Wei Dou Shú”. Sua nova formação foi ministrada pelo próprio Mestre Cherng que, naquele momento, disse a ela para deixar o teatro e seguir sua missão, seu verdadeiro caminho profissional na Astrologia Polar (como é chamada na China).

Seguindo as orientações de seu Mestre, em 2002, Érica Poonam especializou-se como Astróloga Taoísta, porém só após a morte de Cherng, em 2004, começou a difundir esse raro conhecimento mundo afora. Ela viajou por vários estados brasileiros difundindo a Astrologia Taoísta, até que “sentiu” necessidade de integrá-la à Psicologia e “algo” relacionado à saúde física.

Foi quando, em 2005, ingressou na Somatic Experieng Trauma Institute (SETI), orientando seus estudos para o tratamento de doenças oriundas de experiências traumáticas. Esse momento foi crucial na sua carreira, pois finalmente percebeu que Espiritualidade, Ciência e Arte podem integrar-se e andar de “mãos dadas”.

A partir daí, um novo capítulo começou: o estudo sobre trauma tornou-se seu principal foco de pesquisa. A integração desses diferentes conhecimentos propiciara uma grande guinada profissional e pessoal à Érica Poonam, que obteve a cura para muitos de seus próprios traumas. O ano de 2007 marcou oficialmente o início de sua carreira internacional, atuando especialmente na Inglaterra e em Portugal, onde lançou o livro intitulado: “Zi Wei Astrologia das Estrelas”.

Em 2009, quando já dividia sua vida entre Brasil e Portugal, foi agraciada com outro “grande encontro”. Desta vez, com aquele que até hoje continua a seguir: Mestre Mooji.

Seu primeiro encontro com ele foi inesquecível, pois “Mooji silenciou sua mente”. Érica sentiu-se agraciada por uma inexplicável sensação de paz – uma paz até então por ela desconhecida. Mooji é mestre Advaita Vedanta. Conhecida como ciência da “não dualidade”, Advaita Vedana nasceu na Índia há muitos séculos. Advaita significa “não dualidade” e Vedanta, “a parte final” ou “conclusão” dos Vedas. Os Vedas são o pilar de toda a cultura Hindu também conhecida como tradição védica.

Logo após esse encontro, foi convidada para assumir a coordenação da Formação da SETI em Portugal. Em 2010, muda-se para as terras lusitanas e dá início à primeira turma de formandos da Somatic Experiencing em Lisboa.

A crise Financeira Europeia trouxe sérios problemas ao projeto, e isso culminou na sua decisão de deixar a coordenação da SETI em Lisboa. No entanto, as reflexões geradas a partir dessa decisão de seguir um novo caminho, após todo o aprendizado, experiência e anos de pesquisa, representaram também a “gestação” de uma nova abordagem terapêutica, a Cura Arquetípica.

Érica concluiu sua missão na SETI ao formar sua primeira turma em 2013 e passou a se dedicar integralmente ao desenvolvimento dessa nova abordagem.

Além da prática terapêutica individual com a abordagem “Cura Arquetípica”, Érica promoveu formações, workshops e outros eventos realizados em Portugal e no Brasil (Fortaleza, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul).

Em 2015, juntamente com um grupo de alunas, fundou a European Association For Emotional Health (EAEH) na cidade do Porto. A associação teve, como foco inicial, a “cura” ou “liberação” do estresse que causava traumas e sofrimentos de suas próprias associadas. Essas atividades nasceram a partir dos alunos em formação da Cura Arquetípica e, posteriormente, em atividades de clínica social e outras intervenções terapêuticas junto com instituições parceiras.

No final de 2016, Érica Poonam reencontra-se novamente com Mestre Mooji, mergulha mais profundamente nos princípios da “não dualidade” e segue incansavelmente em busca de se libertar da mente condicionada.

Em 2019, depois de uma imersão ao lado de Mestre Mooji, passa a responder pelo nome Poonam. A partir de então, passa também a integrar oficialmente conceitos das Artes Cênicas e Advaita Vedanta à abordagem terapêutica da Cura Arquetípica, que passa a se chamar Teatro da Consciência.

Em 2019, depois de uma imersão ao lado de Mestre Mooji, passa a responder pelo nome Poonam. A partir de então, passa também a integrar oficialmente conceitos das Artes Cênicas e Advaita Vedanta à abordagem terapêutica da Cura Arquetípica, que passa a se chamar Teatro da Consciência.

Voltar ao topo